sábado, 8 de setembro de 2012

Mar além



















Cale-se, não diga nada...
Não desfaça o silêncio
Com palavras porosas
A absorver o que em si
Não convém a verdade.

Não imprima mansidões
Quando tudo é ressaca
E vãs todas as explicações
Desprezíveis e aceitáveis

O mar, azul, dos teus olhos
Irradia uma serena calmaria
Mas que, no fundo esconde
Corais frios e recifes afiados

Ah, como eu queria nadar ...
Contra as tuas correntes pra
Descobrir os teus mistérios!

Mas, pra que me deixar levar
Se eu já sei que as madeiras
Úmidas do teu cais imenso
Não me proporcionam mais
A segurança de um abraço?

No mais - eu - morreria em ti
Sem ao menos te alcançar.

Patty Hilmer

3 comentários:

  1. Talvez boiar seja melhor que nadar. ;)

    ResponderExcluir
  2. O triste de tudo é quando o corpo já está pesado demais para fazê-lo, e todo esforço que se faz para se sair [da água] resulta em nada...

    ResponderExcluir